2020 nos mudou para melhor ?

2020 nos mudou para melhor ?

No início dessa semana, nosso Diretor de Novas Ofertas, Francisco Fernandes, publicou um artigo sobre as lições aprendidas em 2020 e os desafios para 2021. Confira:

Sim, 2021 já começou. Mas não podemos viver este ano sem refletirmos sobre 2020. Quando a pandemia bateu à nossa porta, lá em março, estávamos em um ritmo insano de vida. A ideia de se isolar dentro de casa era absurda – “Como deixar de ir àquele evento marcado há tempos? E as reuniões cheias de contatos importantes? E os eventos sociais? Não acredito que teremos que desmarcar nossos compromissos com a família, os amigos e os clientes…”

             Foram muitos os questionamentos sobre como era possível ficar longe de tudo e mudar a maneira de viver. Chegamos a acreditar que seria por pouco tempo, e acredito que isso nos deu alguma força para ceder. Mas ainda assim, de cara foi preciso nos adaptarmos à nova rotina em nossos lares, passarmos por momentos excepcionais (há quanto tempo não dividíamos um almoço em família em plena terça-feira?), trocarmos aquele café de relacionamento por uma call de vídeo. Nos encaixamos nas mais diversas situações, e chegamos até a aproveitar as horas economizadas no trânsito fazendo exercícios em frente à TV ou arrumando aquele armário que estava abarrotado de coisas e que nunca tínhamos tempo para organizar.

             Pessoalmente, foi diferente e desafiador. Mas, e profissionalmente? 2020 nos mudou para melhor?

Certamente, você consegue listar alguns vários momentos em que achou que não daria conta. Pressão, corte de investimentos, demissões na equipe, time desmotivado, mercado pedindo soluções instantâneas para todas as questões de negócio que emergiram em paralelo à pandemia. Nesse cenário, quem conseguiu seguir teve que trabalhar – e muito – a inteligência emocional. Você já deve ter escutado aos montes essa expressão, mas em 2020, mais do que nunca, essa foi uma característica essencial: identificar o que era estresse, o que era resistência às mudanças ou o que era inexperiência foi bastante necessário, e só resistiu quem conseguiu trabalhar o autoconhecimento e a empatia com o próximo. Isso porque, mesmo com o cenário em comum, cada profissional teve particularidades em meio ao caos. Estávamos todos na mesma enxurrada, mas não necessariamente no mesmo barco.

             E, nesse contexto, o papel da liderança foi essencial para transparecer que aquele era um momento difícil, mas que ia passar. Para levantar a equipe e não a deixar sucumbir. Ao mesmo tempo, se reinventar, encontrar soluções, enxergar as possibilidades – e não só os empecilhos. E, mais do que isso, planejar a curto prazo para já executar.

             Se a empresa que lhe concerne passou por essa turbulência e não se desfez, valorize. Mas não valorize só o negócio, valorize quem esteve ali, quem passou por todos os dias intensamente dedicado – mesmo com as crianças correndo e gritando pela casa, mesmo com outras pessoas da família fazendo call por horas na mesa da sala, mesmo sem poder encontrar aquele amigo que levantava seu humor.

             2020 nos ensinou a revermos tudo que até então eram certezas: nossos hábitos, nossos valores, nossa capacidade. Provamos que somos capazes, sim! Agora, é hora de canalizarmos essa força no que vale a pena. Estude seu mercado de atuação e as mudanças que nele ocorreram, analise bem as oportunidades e as tendências, defina seus principais objetivos, estabeleça metas, motive e engaje seu time, acredite no que está fazendo e, principalmente, busque o seu melhor. “Se você quer chegar onde a maioria não chega, faça o que a maioria não faz”, como já disse Bill Gates.

Agora, só temos uma certeza: 2020 nos mudou para melhor. Estamos prontos para 2021!

#iPremi#Desafios2021

Últimos artigos

#1 – Conheça o público que está sendo engajado

Como otimizar a tomada de decisões em uma Campanha de Incentivos ?

#3 – Taxa de Conversão e Ticket médio